Rota dos Escritores do séc. XX | Turismo cultural

Rota dos Escritores

Partir à descoberta da geografia de alguns dos mais significativos escritores e poetas portugueses é o desafio desta rota. Uma outra forma de conhecer o País, em percursos e caminhos alternativos.

Este itinerário, que inclui casas e regiões ligadas à vida de ficcionistas e poetas, tem em conta não só os lugares de toda a literatura como aquelas paisagens e recantos que inspiraram as obras.

Usar a literatura como ponto de partida para elaborar um mapa de património cultural da Região Centro foi a ideia principal do projecto A Rota dos Escritores do século XX, uma iniciativa da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) que contou com o apoio de dez câmaras municipais.

Afonso Lopes Vieira, Aquilino Ribeiro, Carlos de Oliveira, Eugénio de Andrade, Fernando Namora, Miguel Torga e Vergílio Ferreira foram os escritores seleccionados.

A CCDRC publicou um livro ilustrado, sobre a vida e obra de cada um dos autores, com um roteiro turístico da zona. Nele figuraram informações sobre a história, património, natureza e gastronomia, assim como diferentes sugestões de percursos, para fazer a pé ou de carro.

A curiosidade natural, sentida por muitos leitores, em relação à pessoa que se esconde por detrás de um livro continua a ser razão suficiente para se fazer ao caminho. S.S.O

Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Centro
Rua Bernardim Ribeiro, 80, Coimbra, T. 239 400 100

Sobre os escritores…

Afonso Lopes Vieira

Afonso Lopes Vieira nasceu em Leiria a 26 de Janeiro de 1878 e faleceu em Lisboa a 25 de Janeiro de 1946. Era filho de Afonso Xavier Lopes Vieira e de Mariana Xavier Lopes Vieira, sobrinho-neto do poeta, prosador e jornalista António Xavier Rodrigues Cordeiro.

Na aldeia de Cortes – Leiria, na livraria em casa do seu tio-avô, privou com os clássicos aí existentes. Aliás a sua vida foi vivida entre o seu solar em Lisboa e a casa de Verão de São Pedro e completada com algumas viagens por Espanha, França, Itália, Bélgica, norte de África e Brasil.

Ainda que, nas palavras do poeta, fosse ” o mesmo aluno medíocre que já for ano curso dos liceus” formou-se em Direito pela Universidade de Coimbra em 1900. Declinou o cargo de subdelegado régio e tentou a carreira de advogado sob a alçada do pai até 1906, ano em que aceitou o cargo de redactor na Câmara dos Deputados que exerceu até 1916. Ler+

Aquilino Ribeiro

Nascido a 13 de setembro de 1885 no concelho de Sernancelhe, freguesia de Carregal de Tabosa (uma lápide assinala a casa onde se julga que nasceu), filho de Mariana do Rosário Gomes e do padre Joaquim Francisco Ribeiro, tem uma infância, ao que se sabe, de miúdo um pouco mais que travesso, a tal ponto que ainda hoje é possível encontrar na zona quem tenha ouvido contar histórias picarescas de um menino destinado pela família à vida de sacerdócio.

A sua ida para o Colégio da Senhora da Lapa, em 1895, seria o início de um percurso que o leva seguidamente para Lamego, mais tarde para Viseu (ano de 1902), onde vai estudar Filosofia, e, pouco tempo depois, para o Seminário de Beja, frequentado, ao que consta, pelos ordenandos mais recalcitrantes.

Em 1904 é expulso do seminário, depois de ter dado uma réplica cortante a uma acusação do Padre Manuel Ançã, um dos dois irmãos que ao tempo dirigiam a instituição. Ler+