Agricultura biológica o que é? Conceitos gerais

Agricultura biológica

A agricultura biológica é também conhecida como “agricultura orgânica” (Brasil e países de língua inglesa), “agricultura ecológica” (Espanha, Dinamarca) ou “agricultura natural” (Japão).

Este tipo de agricultura é um modo de produção agrícola que respeita profundamente o meio ambiente e a biodiversidade, e que faz apelo a uma serie de medidas preventivas para evitar a ocorrência de situações que obriguem ao uso de produtos fitossanitários, de medicamentos, etc.

A agricultura biológica é, também, o modo de produção agrícola mais ecológico e sustentável,

– pela aproximação das suas práticas aos equilíbrios naturais,

– pela maior utilização de factores de produção renováveis e de baixo custo energético

– e pela interdição de práticas e produtos de maior impacte ambiental.

A agricultura biológica integra um conjunto de técnicas agrícolas, visando a utilização racional do sistema formado pelo clima-água-solo-microrganismos-planta, de modo a preservar o equilíbrio dos ecossistemas agrícolas e torná-los sustentáveis a longo prazo.

São excluídas a quase totalidade das substâncias químicas de síntese, tais como os fertilizantes químicos e pesticidas de síntese.

Princípios da agricultura biológica

A agricultura biológica baseia-se numa serie de objetivos e princípios, assim como em práticas comuns desenvolvidas para minimizar o impacto humano sobre o ambiente e assegurar que o sistema agrícola funciona da forma mais natural possível.

As práticas tipicamente usadas em agricultura biológica incluem:

Rotação de culturas, como um pré-requisito para o uso eficiente dos recursos locais;

– Limites muito restritos ao uso de pesticidas e fertilizantes sintéticos, de antibióticos, aditivos alimentares e auxiliares tecnológicos, e outro tipo de produtos;

– Proibição absoluta do uso de organismos geneticamente modificados;

– Aproveitamento dos recursos locais, tais como o uso do estrume animal como fertilizante ou alimentar os animais com produtos da própria exploração

– Escolha de espécies vegetais e animais resistentes a doenças e adaptadas as condições locais;

– Criação de animais em liberdade e ao ar livre, fornecendo-lhes alimentos produzidos segundo o modo de produção biológico;

– Utilização de práticas de produção animal apropriadas a cada espécie.

Texto retirado da internet, editado e adaptado | Imagem