O café foi descoberto pelas cabras – Curiosidade

As cabras descobriram o café

Dizem os historiadores que o café teve a sua origem na Abissínia1 e que teria sido um pastor abexim que, apascentando as suas cabras, notou nestas uma marcada preferência por certo arbusto que as tornava animadas e buliçosas.

Não tardou a descobrir que este arbusto tinha o nome de «cafezeiro». Isto foi o começo de uma importantíssima indústria que ainda domina no Mundo.

O café somente se generalizou no Oriente a partir do século XV e só passados cerca de 200 anos é que apareceu na Europa.

Todavia, os doutores e cultores da ciência de Esculápio reprovaram logo de começo tal bebida, opinião que segundo parece ainda manifestam de vez em quando nas situações graves.

Os portugueses possuíam importantes plantações de café nas Ilhas de S. Tomé e Príncipe, Cabo Verde, em Angola, Moçambique e Timor.

Pode dizer-se que o café português era dos melhores, mas o Brasil é o principal produtor e exportador mundial. O seu excelente café é aromático, mas é interessante notar que as suas plantações e indústria só começaram depois de 1727. Anteriormente não se conhecia esta planta no Brasil.

Os primeiros cafés estabeleceram-se em Meca no começo do século XVI, e há quem contrarie a história do pastor abexim afirmando que foram os monges maometanos de Chebel Abor que o descobriram ao observar os efeitos de um certo arbusto que as suas cabras preferiam.

Os monges viram então que a planta tinha frutos, e começaram a colhê-los descobrindo assim as propriedades do café. Passaram então a usar estes frutos para se conservarem despertos durantes as vigílias e orações.

No entanto, não se pode negar que as cabras permanecem como pioneiras na descoberta do café.

O primeiro café da Europa

O primeiro estabelecimento para consumo do café, ou seja o primeiro «Café» da Europa, abriu em Veneza, em 1624. Em seguida apareceu outro em Londres, no ano de 1652. Já em Paris, foi só em 1671. Em Estocolmo, inauguraram o primeiro café em 1675 e na cidade de Berlim, apenas em 1721.

Como o café se tornou num vício para os homens, houve em 1664 uma manifestação pública, feminina, na cidade de Marselha, contra este hábito de beber café fora de casa que afastava os homens do lar. Não dizem as crónicas se nessa época as mulheres também o bebiam ou não.

Talleyrand foi um grande apreciador de café e ainda hoje se repete a sua famosa opinião sobre esta bebida:

«O café deve ser quente como o inferno, preto como o diabo, puro como os anjos e doce como amor

Tem de se dizer, porém, que verdadeiros apreciadores do café o bebem sem açúcar.

Contudo, como Talleyrand foi um diplomata que sabia levar a água ao seu moinho com extrema doçura e gentileza, é natural que achasse indispensável açucarar uma bebida quente como o inferno e preta como o diabo.

A origem da palavra café

A origem da palavra café é realmente etíope e deriva da Kaffa, o local onde foi descoberta a planta.

A planta do café é verde e pode atingir dez metros de altura. Os plantadores costumam mandar cortar estas plantas a uma altura de dois metros para facilitar a colheita.

Na Europa, toma-se com leite, natas e açúcar, ou simplesmente segundo o gosto do apreciador.

No Oriente, serve-se o café com canela, baunilha ou casca de laranja.

Não levou muito tempo a descobrir-se as vantagens e inconvenientes desta bebida.

Assim, foi ainda no século XVII que alguns médicos das cortes europeias falaram contra os resultados nocivos provenientes do abuso do café.

Mas este tornou-se numa grande fonte de rendimento, e para se fazer uma ideia basta dizer que nos anos de boa colheita cada planta de café pode dar de 3 a 7 quilos de frutos.

Nos tempos do poeta Goethe o café era um luxo caro. Durante a sua viagem pela Itália este famoso homem de letras enviou alguns quilos do apreciado grão como especial presente a «mme.» Stein, pedindo-lhe para dar uma porção à duquesa Ana Amália e outra ao seu amigo Herder.

Em 1905, Luís Roselius descobriu o processo de extrair a cafeína do café e desde então principiou a venda de um subproduto cuja percentagem de cafeína é de 0,08%. A normal é de 1,3 e 2,5 %.

O café árabe é cultivado no Iémen e tem, os grãos mais pequenos do que o café indiano. Todavia, esta planta cultiva-se de preferência nas regiões acidentadas, dos países tropicais, onde a temperatura não desce além dos 16 ou 17 graus.

Pagamento em sacos de café

Georg Franz Kolschitzky, que no cerco de Viena pelos turcos desempenhou papel de relevo, pediu como recompensa, depois de expulso o inimigo, que lhe dessem apenas os sacos cheios de grão verde que os turcos tinham deixado para trás, na fuga, e aos quais ninguém ligou importância.

Kolschitzky conhecia já o café e depois que lhe satisfizeram o que pediu começou a vender pelas ruas a sopa turcas, pedindo um cruzado por cada chávena.

Os vienenses acharam esta bebida muito amarga e o negócio do inteligente Georg Franzia por água abaixo quando por engano deitou a «sopa turca» num frasco de mel. Para não perder tudo vendeu a mistura e foi um sucesso!

(…)

Designações e outras utilizações

Nas cinco partes do Mundo há designações diferentes dadas ao café.

Os maometanos chamam-lhe «vinho do Islão». Em França «néctar dos pensadores». Na América Latina, fala-se desta bebida como a «consolação do pobre».

O cheiro intenso do café a torrar foi outrora recomendado como defumadouro, anticontagioso. Usava-se no quarto dos doentes e empregava-se contra todos os maus cheiros.

A flor do cafezeiro é branca e os frutos tem o tamanho de cerejas e contêm dois grãos.

Os turcos costumam dizer que é mau beber menos de três chávenas de Moka, por dia, e que é péssimo tomar mais de trinta e três.

Dizem que o mais antigo café do Mundo abriu as suas portas ao público em Istambul, no ano de 1540, o qual só fechou as suas portas 400 anos depois…

Proibição que leva a perda do poder

É interessante saber, a propósito que em 1511 Chair Bey, que governava em Meca, proibiu o consumo da aromática bebida que nesse tempo se vulgarizara nas mesquitas.

Nessa altura foram queimadas as provisões existentes e vendedores e consumidores ameaçados com pesadas multas.

Mas nesse tempo havia no país muitos apreciadores de café e as suas queixas chegaram aos ouvidos do sultão do Cairo, que também gostava desta bebida. Isto acabou com a proibição e também com o poder de Bey. (…) 2

Sugestões e dicas

O café moído deve ser guardado no frigorífico para não perder o aroma. Ele também fica mais saboroso se, no momento de o servir, lhe juntar um pouquinho de cacau em pó. Do mesmo modo, e para que não perca o aroma enquanto não é utilizado, junte ao café em pó uma colher de açúcar e guarde-o num frasco bem fechado.

Se o café ferver, retire-o do lume e adicione-lhe uma colher de água fria.

O café só deve ser moído na altura em que vai ser utilizado.

Nunca deite açúcar no café antes de o deitar na chávena. 3

*****

1 O Império Etíope, também conhecido como Abissínia, foi um império que ocupou os presentes territórios da Etiópia e da Eritreia, existindo de aproximadamente 1270 até 1974, quando a monarquia foi deposta por um golpe de estado. Fonte

2 Fonte: “Ilustração Portuguesa”, nº 1029 – 1 de Dezembro de 1967 (texto editado e adaptado) | Imagem

3 “Almanaque de Santo António” – 2008