A batata-doce é versátil e agradável ao paladar!

Batata-doce

A batata-doce é doce, como o seu nome indica, apresenta-se numa variedade de cores, é versátil a nível culinário e agrada ao paladar.

Nunca a batata-doce foi tão popular e tão bem-amada como nos tempos que correm. E tem predicados para isso.

Nativa da América Central e do Sul, a batata-doce é um dos vegetais mais antigos conhecidos pelo homem, sendo consumida desde os tempos pré-históricos, facto evidenciado por achados que foram descobertos em cavernas no Peru.

Cristóvão Colombo trouxe a batata-doce para a Europa aquando da sua primeira viagem ao Novo Mundo, em 1492. Mais tarde, o tubérculo foi levado para as Filipinas por exploradores espanhóis e para a África, Índia, Indonésia e sul da Ásia pelos descobridores portugueses.

Cultivada em mais de cem países, hoje em dia é a China o maior produtor mundial de batata-doce, seguida da África, da América do Sul, da América Central e dos Estados Unidos.

Em Portugal, a produção tem vindo a aumentar nos últimos anos, devido diretamente ao acréscimo do seu consumo. A batata doce nacional é maioritariamente cultivada em zonas onde o solo é arenoso e o clima ameno.  Nestas zonas as geadas são menos frequentes e têm condições mais adequadas para o seu cultivo.

Existem diversas variedades de batata-doce (Ipomea batatas L., da família das Convolvuláceas, diferente da batata dita normal, Solanum tuberosum, que pertence à família das Solanáceas), podendo a cor da sua pele e polpa variar entre branco, amarelo, laranja e roxo.

A sua forma pode ser curta e arredondada, mas também é comum adquirir um formato mais alongado e cónico, e a casca é mais rija que a da batata normal.

Cada vez mais apreciada

Há muito apreciada pelos atletas, a batata-doce tornou-se, nos últimos tempos, uma das coqueluches do reino da gastronomia e da alimentação saudável.

Os chefs adoram incluí-la nos seus menus preparada das mais variadas formas. Os nutricionistas recomendam-na, pois, no seu cultivo há menor recurso por ser saudável, a agentes químicos, e por, cozinhada de algumas formas, como cozida em água, apresentar um índice glicémico mais baixo do que a batata dita normal.

E as pessoas em geral gostam do seu sabor, das suas cores apelativas e da sua versatilidade a nível culinário, das sopas aos purés, dos chips aos bolos, dos gnocchi às azevias.

Fácil de encontrar nas ementas dos restaurantes, fácil de encontrar nos supermercados, a batata-doce entrou, definitivamente, nos hábitos alimentares do nosso dia a dia. E a nossa saúde agradece, assim como o nosso paladar.

Características nutricionais

A batata-doce é considerada uma boa fonte de hidratos de carbono, já que é fonte de fibra, contendo quase o dobro da batata comum, o que acaba por lhe conferir uma maior capacidade de saciedade.

É rica em vitamina C e pró-vitamina A (carotenos) e fonte de potássio. Este mineral contribui para o normal funcionamento muscular e desempenha um papel essencial na manutenção de uma pressão arterial normal.

Em relação à pró-vitamina A, é importante ressaltar que esta vitamina contribui para o normal funcionamento do sistema imunitário, bem como para a manutenção de uma visão e peles normais.

Sugestões sobre…

… como escolher

Escolha as batatas-doces mais firmes e que se apresentem inteiras, sem manchas, contusões ou sinais de podridão.

… como consumir

A batata-doce pode ser consumida cozida, frita, em chips ou assada.

Combina com todo o tipo de pratos de carne ou de peixe, purés, sopas, pães, soufflés, gratinados, compotas, doces e bolos. Combina também muito bem com canela, mel, coco e noz-moscada.

… como conservar

batata-doce deve ser acondicionada num local fresco. e seco, escuro e bem ventilado.

Informação nutricional (composição por cada 100 g de parte edível de batata-doce)

Energia: 119 kcal | Água: 67,2 g | Proteína: 1,0 g | Hidratos de Carbono: 28.3 g | Amido: 20.4 g | Fibra alimentar: 2,7 g | Vitamina A: 650 µg | Caroteno: 3900 mg | A-Tocoferol: 4,6 mg | Tiamina: 0,17 mg | Niacinina: 0,50 mg | Vitamina B6: 0,090 mg | Vitamina C: 25 mg | Folatos: 17 µg | Sódio: 21 mg | Potássio: 350 mg | Cálcio: 24 mg | Fósforo: 32 mg | Magnésio: 14 mg | Ferro: 0,4 mg | Zinco: 0.3 mg

Fonte: Continente Magazine (texto editado e adaptado) | Imagem de Iva Balk 

 

Se quiser receber no seu email os novos artigos publicados, subscreva a nossa Newsletter!

Mantemos os seus dados privados e nunca os partilharemos com terceiros.
Leia a nossa Política de privacidade.