Algarve – Terra de paixões e de encantos sem fim!

O Guadiana e os parques naturais

O rio e os parques naturais são atracções imperdíveis da região algarvia. Descubra o motivo.

Nascendo em Espanha, o rio Guadiana faz a fronteira entre Portugal e Espanha, separando Vila Real de Santo António e Ayamonte.

Navegável nos últimos 48 quilómetros, entre o Pomarão e Vila Real de Santo António, o Guadiana foi uma das primeiras “auto-estradas” da região, ligando as costas algarvias ao interior alentejano.

Por este rio acima, a paisagem lembra um quadro, com as margens salpicadas pela vegetação ribeirinha, enquadradas num horizonte sinuoso, onde as colinas decoradas com estevas, oliveiras e amendoeiras servem de esconderijo às construções de xisto e de habitat às galinhas de água, guarda-rios, patos reais e outras aves aquáticas.

Por seu turno, as ribeiras de Odeite, Beliche, Foupana, Cadavais e Vascão, todas afluentes da margem direita do Guadiana, traçam caminho por entre afloreamentos de xisto e dão guarida a aves como o estorninho-malhado e a pega azul, que se refugiam nos densos canaviais que crescem nas margens.

Parques Naturais

Mas o majestoso Guadiana não é a única maravilha natural numa região que conta com duas áreas protegidas. Não muito longe, o Parque Natural da Ria Formosa é uma das mais bonitas riquezas naturais do Algarve, não só pela variedade dos seus ecossistemas como pela sua localização.

Estende-se ao longo de 60 km, desde a zona do Ancão até à da Manta Rota e funciona como abrigo para aves migratórias e espécies muito raras.

Já o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina ocupa uma longa faixa costeira (74.788 hectares) desde a Ribeira da Junqueira até Burgau; e uma faixa marítima de dois quilómetros ao longo de mais de 100 quilómetros de orla costeira.

Praias selvagens, dramáticas, às quais só se acede conhecendo os segredos do caminho, são alguns dos atractivos de uma área famosa pelo turismo da natureza, que apetece visitar – seja de carro, a pé ou de barco.

Esta costa é também muito procurada por mergulhadores, lembrando-nos que, no Algarve, há sempre algo de novo a experimentar, debaixo da superfície.