Carqueija ou Giesta-de-carqueija | Plantas medicinais

Carqueija ou Giesta-de-carqueija

Chamaespartium tridentatum (L.) P.Gibbs

FABACEAE ou LEGUMINOSAE.

Origem/ Habitat

Abunda no Oeste da Península Ibérica.

Breve descrição botânica

A carqueija é uma planta serrana e arbustiva.

Os caules são lenhosos e alados lateralmente formando falsas folhas de tom verde escuro, estreitas, recortadas e duras.

O que corresponde às verdadeiras folhas são três pequenas brácteas ponteagudas em forma de dentes em cada nó. Daí o adjectivo específico tridentatum.

Quanto às flores, dispõem-se em inflorescências corimbiformes na parte terminal dos caules. São amareladas e possuem pêlos nas sépalas que as revestem.

O seu aroma é adocicado.

Partes utilizadas

Flores secas.

A secagem deve ser efectuada à sombra.

Indicações

A carqueija é aconselhada em casos de constipações, dores de estômago, problemas digestivos e de intestinos.

A flor, depois de seca, é usada em infusão (uso interno apenas).

Os raminhos floridos são também de alto valor condimentar como já referido.

Outras aplicações

Em infusão das flores secas, toma-se a carqueja para problemas de fígado, inflamações da vesícula biliar, dissolver cálculos biliares, doenças de rins e da bexiga e reumático (tanto em chá como em banhos).

Os ramos secos, são vulgarmente utilizados como lenha nos fornos tradicionais das nossas aldeias porque são altamente combustíveis e simultaneamente transmitem ao pão um agradável aroma.

Outros nomes vulgares

carqueijeira

Outros nomes botânicos

Genistella tridentata L. e Pterospartum tridentatum (L.) Wilk.

Fonte: “Etnobotânica – Plantas bravias, comestíveis, condimentares e medicinais“, José Alves Ribeiro, António Monteiro e Maria de Lurdes Fonseca da Silva (texto editado e adaptado) | Imagem