Fins-de-semana Gastronómicos | Março 2019

 

No mês de Março, os Fins-de-semana Gastronómicos realizam-se nos concelhos abaixo referidos.

Provérbio ou ditado popular
Em março,
esperam-se as rocas
e sacham-se as hortas.”
Conheça outros provérbios sobre os meses do ano.

1, 2 e 3 – Alfândega da Fé

Produtos de excelência e sabores únicos unem-se num só lugar, Alfândega da Fé! Para além dos produtos locais que estimulam o paladar, como o azeite, a cereja, a amêndoa, a castanha e os produtos hortícolas locais, plantados com toda a devoção, a vila transmontana tem também para oferecer o sabor do seu fumeiro, dos produtos silvestres e a sua inata hospitalidade. Encanta assim, esta vila, com todo o estímulo do paladar, reunindo os ingredientes da terra com as histórias que têm para contar. A tradição aliada à inovação torna-se difícil de resistir.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Cordeiro ou cabrito Serrano Grelhado com Batata Grelhada e Legumes Salteados | Pudim de Castanhas | Doce de Ovos Gelado Artesanal de Cereja de Alfândega da Fé

 

blank1, 2 e 3 – Bragança

A gastronomia de Bragança destaca-se pela qualidade dos seus produtos, com sabores e aromas que parecem exalar das paisagens de onde provêm. A confeção simples é orientada por mãos sábias, que conhecem bem a origem dos ingredientes, muitas vezes trazidos diretamente da horta para a cozinha. Uns chamam-lhe Butelo, outros, chouriço de ossos,… enfim, são vários os nomes para produtos semelhantes do fumeiro regional da Terra Fria Transmontana. É inegável que se trata de um prato muito apreciado, que distingue o fumeiro da terra fria nordestina de muitos outros.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Tábua de Enchidos | Butelo com Casulas | Pudim de Castanhas

 

blank1, 2 e 3 – Cabeceiras de Basto

Hoje Património Cultural Nacional, a gastronomia regional caracteriza-se pela utilização de matérias-primas naturais e receitas tradicionais. Cabeceiras de Basto, terra de grandes tradições e de longa ocupação humana, também tem na gastronomia e seus produtos parte da sua identidade. Com objetivo de promover e valorizar o que possui de mais genuíno, convidam-se todos a desfrutar da XXIII Festa da Orelheira e do Fumeiro que decorre de 1 a 4 de março e a aproveitar a edição 2019 dos Fins-de-Semana Gastronómicos para saborear as iguarias locais, assim como os sabores autênticos, que resultam da relação do homem com a terra.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Couves com Feijão | Pão-de-Ló

 

blank1, 2 e 3 – Esposende

O concelho de Esposende – Terra de Mar do distrito de Braga – oferece uma gastronomia baseada na excelência dos peixes e mariscos, preparados e cozinhados com arte e mestria pelos profissionais da restauração. Realce-se, em época, a lampreia do rio Cávado, passando pelos robalos e polvos do mar de Apúlia, para além dos sargos, fanecas, carapaus, congros, sardinhas e ainda tantos outros mimos que fazem o gosto aos comensais. Da multiplicidade de Sabores do Mar que caracterizam a gastronomia de Esposende, merecem especial referência outros produtos endógenos como os Vinhos Verdes de quinta dos produtores engarrafadores do concelho, os hortícolas da franja litoral, a doçaria local com destaque para as conceituadas Clarinhas de Fão, ou ainda os queijos e manteigas dos Lacticínios de Marinhas.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Lampreia | Clarinhas de Fão

 

blank1, 2 e 3 – Gondomar

Sábios cozinheiros aprimoraram e preservaram o sabor da cozinha tradicional de Gondomar assente em produtos endógenos, apresentando pratos que brilham nas ementas dos principais restaurantes do concelho. As iguarias mais procuradas são a lampreia, no período compreendido entre janeiro e abril, e o tradicional “caldo de nabos” que os gondomarenses não dispensam durante as Festas do Concelho entre setembro e outubro. Na doçaria destacam-se o “Coração de Gondomar” e o “Mimo D´Ouro”, doces inspirados em produtos regionais como as nozes, a abóbora, o nabo e o mel.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Arroz de Lampreia | Coração de Gondomar

 

blank1, 2 e 3 – Mirandela

O Festival Gastronómico da Alheira decorre em março, onde se promove a Alheira, quer como entrada, quer como prato principal nos restaurantes aderentes. Estes restaurantes elaboram menus especiais com destaque para a alheira, colocando ao dispor de quem nos vista uma oferta diferente de incentivo à escolha do menu. Cada restaurante elabora o menu, de acordo com a oferta que vai ter disponível diariamente durante os dias em que decorre o festival.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Alheira de Mirandela | Pudim de Azeite

 

blank1, 2 e 3 – Mogadouro

O que pedir nos restaurantes aderentes: Cogumelos e Torradas de Azeita | Casulas com cascas | Queijos de Cabra e Ovelha com Compotas

 

 

 

blank1, 2 e 3 – Penedono

A gastronomia de Penedono inspira-se na simplicidade e genuinidade dos seus costumes, da sua agricultura com uma presença cada vez mais vincada na utilização da castanha, não descurando a riqueza e diversidade de sabores. Na região de Penedono é possível degustar a famosa marrã (carne de porco), o arroz de coelho, o borrego estufado com batatas, o cabrito assado, as papas de sarrabulho, os enchidos (chouriças, moiras e farinheiras), o caldo de abóbora com leite, o caldo de castanha, a sopa de feijão, os queijos de cabra e de ovelha não esquecendo um leque variado de pratos e sobremesas confecionados à base da castanha.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Seleção de Enchidos Tradicionais | Marrã | Pudim de Castanha

 

blank1, 2 e 3 – Ribeira de Pena

A cultura gastronómica do concelho assenta no crescimento da sua economia rural agrícola. A abundância de milho por todo o território, levou à utilização deste cereal na gastronomia regional. Os milhos representam o ex-libris gastronómico do concelho de Ribeira de Pena, que podem ser “esfuçados”, “escornados”, “esgravatados“ ou “ricos”. Também o cabrito assado, criado nas terras altas deste concelho serrano, ou as couves com feijões ou mesmo a saborosa carne maronesa apelam à visita a Ribeira de Pena. Aproveite e conheça o território através dos Percursos Pedestres que o levam até locais admiráveis, ou desfrute de umas atividades no Pena Aventura Park ou mesmo conhecer o vasto património histórico-cultural e paisagístico.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Milhos | Chila no Forno

 

blank1, 2 e 3 – Tabuaço

A gastronomia do concelho de Tabuaço é rica em carne, tendo como pratos típicos o bife com molho de Vinho do Porto, cabrito assado com arroz de forno, javali, presunto e fumeiros, acompanhados por legumes e frutos da época. Como sobremesa o arroz doce, pudim de ovos, aletria, bolo-rei, folar de azeite e o pão-de-ló na Páscoa. Os vinhos de mesa, produzidos na região, acompanham a refeição.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Bife do Lombo com Molho de Vinho do Porto | Arroz doce

 

blank1, 2 e 3 – Torre de Moncorvo

O concelho de Torre de Moncorvo, possuiu uma gastronomia variadíssima, sendo o Borrego Terrincho, um produto com denominação de origem protegida, pertencente à raça Churra da Terra Transmontana. O maneio tradicional destes animais, que se alimentam sobretudo de ervas espontâneas, confere à carne características de gustação diferenciadas. Da abundância de amêndoa na região, surge a confeitaria tradicional da doçaria. Sendo o Bolo de Amêndoa uma das iguarias mais apreciadas desta arte, que tem passado de geração em geração. A sua confeção apresenta uma combinação de amêndoa com vários aromas o que lhe confere um paladar único e inesquecível.

O que pedir nos restaurantes aderentes: Folhado do Borrego da Churra | Borrego Terrincho | Bolo de Amêndoa

Fonte

Se quiser receber no seu email os novos artigos publicados, subscreva a nossa Newsletter!

Mantemos os seus dados privados e nunca os partilharemos com terceiros.
Leia a nossa Política de privacidade.