Fórum Pan-Europeu das Confrarias e Irmandades

No próximo dia 15 de fevereiro de 2020, em Lugano, no Auditório da Universidade Suíça Italiana, vai realizar-se o Fórum Pan-Europeu de Confrarias e Irmandades.

Esta iniciativa é promovida pela

Confraria de São Carlos Borromeu, em Lugano, juntamente com outras entidades eclesiais:

– a União das Confrarias da Diocese de Lugano – Suíça

– e a Confederação das Confrarias das Dioceses de Itália).

Conta com o patrocínio do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização e do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE).

Objectivo do Fórum Pan-Europeu das Confrarias e Irmandades

Esta iniciativa pretende reunir as confrarias e irmandades europeias num fórum que visa encontrar as respostas possíveis sobre a fundamental e própria missão dentro do actual continente europeu.

As confrarias e irmandades reúnem, hoje, milhões de crentes em toda a Europa.

No entender dos organizadores, quando estas são acompanhadas na sua história pela benigna e amorosa Igreja, Mãe e Maestra, podem ser também um veículo e um instrumento muito eficaz de apostolado e evangelização.

E sempre tendo em vista a preservação dos valores cristãos na sociedade em que vivem e ainda verdadeiros sujeitos de uma nova evangelização, hoje em dia mais do que necessária.

Para informações complementares, contactar com Sr. Umberto Angeloni, email: umanconcept2017@gmail.com

 

Fórum Pan-Europeu de Confrarias e Irmandades - Programa

 

Quem foi São Carlos Borromeu?

Carlos, o segundo filho de Gilberto, nasceu em 2 de outubro de 1538.

Menino ainda, revelou óptimo talento e uma inteligência rara. Ao lado destas qualidades, manifestou forte inclinação para a vida religiosa, pela piedade e o temor a Deus.

Ainda criança, era seu prazer construir altares minúsculos, diante dos quais, em presença dos irmãos e companheiros de idade, imitava as funções sacerdotais que tinha observado na Igreja.

O amor à oração e o aborrecimento aos divertimentos profanos, eram sinais mais positivos da vocação sacerdotal. O ano de 1562 veio a Carlos com a graça do sacerdócio.

No silêncio da meditação, lançou Carlos planos grandiosos para a reorganização da Igreja Católica. Estes todos se concentraram na ideia de concluir o Concílio de Trento.

De facto, era o que a Igreja mais necessitava, como base e fundamento da renovação e consolidação da vida religiosa.

Carlos, sem cessar, chamava a atenção do seu tio (que era Cardeal e foi eleito Papa, com o nome de Pio IV) para esta necessidade, reclamada por todos os amigos da Igreja.

De facto, o Concílio se realizou, e Carlos quis ser o primeiro a executar as ordens da nova lei, ainda que por esta obediência tivesse de deixar sua posição para ocupar outra inferior. Ler+

Confrarias, o que são?

Se procurarmos em qualquer dicionário o significado de Confraria, encontramos, normalmente, as seguintes definições:

«Associação com fins religiosos», «Associações antigas que eram constituídas por pessoas que tinham o mesmo ofício» e/ou «Conjunto de pessoas que exercem a mesma profissão ou têm o mesmo modo de vida».

As confrarias [designação proveniente do étimo latino confraternitas, ou do francês confrére(?)] eram/são irmandades laicas ou religiosas de múltipla vocação assistencial e espiritual, cuja origem se pode encontrar na Idade Média portuguesa.

As suas raízes remontam aos collegia romanos e às guildas germânicas.

As confrarias religiosas, para além da prática de actos de culto e sufrágio de almas, tinham ainda a reunião anual dos seus confrades, a assistência (através dos bens comuns da irmandade), aos que empobrecessem, a visita aos doentes e a solidariedade na morte, além de lhes ser reconhecido o papel de mediador nos conflitos entre os respectivos membros. Ler+

Pode ver imagens relacionadas, na página seguinte…