Morangueiro-bravo | Plantas bravias comestíveis

Morangueiro-bravo

Fragaria vesca L.

ROSACEAE

Planta vivaz e estolhosa, o morangueiro bravo é vulgar em sítios frescos, junto a hortas e matas.

Dá frutos mais pequenos que os cultivados, todavia muito saborosos e também riquíssimos do ponto de vista alimentar.

Frágil, perecível e delicado, o morango possui no entanto uma extraordinária capacidade de atuar como antioxidante e anti-inflamatório.

Os benefícios para a saúde são imensos, pois trata-se de uma excelente fonte de vitamina C, A, B1, B2 e B9, igualmente rico em minerais como o ferro, cálcio, potássio, fósforo, e silício.

O morango é, hoje em dia, reconhecido em várias áreas da saúde no que toca à prevenção de doenças cardiovasculares, diminuição do risco de diabetes e na prevenção de certos tipos de cancro.

Receitas

Batido de morangos-bravos

Bata um quarto de quilo de morangos até ficarem em puré; junte-lhe meio litro de leite magro frio e volte a bater a mistura.

Adoce e tempere com quatro colheres de chá de limão.

Distribua o batido por quatro copos, ornamentando com um ou dois morangos sobre os batidos.

Compota de morango

Dissolva uns cinco quilos de açúcar num litro de água, movendo constantemente.

Coloque a ferver e no seu início, junte cerca de dois quilos e meio de morangos-silvestres, deixando ferver mais cinco minutos.

Deixe esfriar e coe tudo por um pano de linho para poder embalar e conservar.

Doce de morangos

Depois de bem lavados, coloque numa tijela, os morangos-silvestres alternados com açúcar.

Deixe ficar assim de um dia para o outro. Leve ao forno a ferver durante cinco minutos.

No dia seguinte, faça o mesmo e volte a deixar repousar mais outro dia.

Leve novamente ao lume até ter o ponto devido (cerca de um quarto de hora de fervura).

Fonte: “Etnobotânica – Plantas bravias, comestíveis, condimentares e medicinais“, José Alves Ribeiro, António Monteiro e Maria de Lurdes Fonseca da Silva (texto editado, adaptado e aumentado com informações daqui) | Imagem