Mirtilo ou Arando | Plantas bravias comestíveis

Mirtilo ou Arando

Vaccinium myrtillus L.

ERICACEAE

Pequeno sub-arbusto umbrófilo dos bosques de montanha, (sub-coberto de carvalhos ou vidoeiros), que alcança 1m a 1,5m.

É uma espécie de elevado valor botânico e ecológico.

Apenas existe em Portugal nas serras mais altas do Centro e Norte, nas quais o Inverno é rigoroso, dado que necessita em média de 700 a 1.000 horas anuais de temperatura entre os 10º e os 12º centigrados.

Existe por exemplo nos carvalhais da Campeã, Marão, Alvão, Barroso, Gerês e também na serra da Estrela.

No Gerês colhem a rama para chás, o que não será bom critério em termos de preservação da espécie.

Dá pequenas bagas azuis escuras (quando alcança o amadurecimento total, ou vermelho, segundo a variedade) que são comestíveis, ótimas para compotas e outras receitas.

Os frutos estão cobertos por uma cera, denominada pruína, e possuem uma pele firme e a sua polpa é sucosa e aromática, de sabor agridoce.

Dotadas de propriedades medicinais, são também utilizadas em ervanária.

Uma outra espécie do mesmo género – Vaccinium – é cultivada na região de Sever do Vouga.

Fruto da juventude

Conhecido como o “Rei dos Antioxidantes” e o “Fruto da Juventude”, este pequeno fruto está no topo dos alimentos com maior teor de antioxidantes, ultrapassando as vantagens de outros vegetais como repolhos, espinafres e brócolos.

É rico em vitaminas, A, B, C e PP, possuindo ainda sais minerais, magnésio, potássio, cálcio, fósforo, ferro, manganês, açucares, pectina, tanino, ácido cítrico, málico e tartárico.

A versatilidade culinária é outra das características que lhe está associada, combina com caça, saladas e outros pratos, é usado na pastelaria em tartes, bolos, pudins, biscoitos, gelados, batidos, no fabrico de rebuçados, não podendo deixar de se salientar o chá e compotas confecionados a partir destas pequenas bagas.

O mirtilo é uma planta medicinal, da qual se podem usar quase todas as partes da planta, flores, folhas, fruto e raízes sendo o fruto que contém mais antioxidantes, o que previne os sinais do envelhecimento.

Os 15 benefícios integrais do Mirtilo

01 – Utiliza-se para o tratamento da profilaxia da cistite.

02 – Reduz a degradação das funções cerebrais em caso de Alzeimer.

03 – Ajuda a evitar alguns tipos do cancro do cólon e da mama, devido seu alto conteúdo antioxidante.

04 – Diminui a probabilidade de sofrer de problemas cardíacos.

05 – Alivia sintomas de infeções urinárias, renais e vesiculares, pelo seu conteúdo de ácido úrico.

06 – Cura inflamações bocais graças às suas propriedades desinfetantes.

07 – Utiliza-se para melhorar a miopia, já que previne problemas de visão causados pela rutura de pequenos vasos da retina.

08 – Fortalece as paredes dos vasos capilares, sendo utilizado para o caso de veias varicosas, flebites e hemorroidas.

09 – Contribui para melhorar a memória.

10 – Previne as cáries.

11 – Reduz as infeções do aparelho auditivo e respiratório.

12 – Previne complicações de diabetes.

13 – Atua sobre doenças das gengivas e articulações.

14 – Previne e trava a progressão da catarata senil, em combinação com a vitamina E.

15 – Secos, combatem a diarreia; frescos, contêm propriedades laxantes.

[Adaptado de Revista Saúde Alternativa, n.º 2]

Receitas

Batido de mirtilos

Bata numa batedeira preferencialmente elétrica meio litro de leite frio e cerca de cem gramas de requeijão.

Passe duzentos e cinquenta gramas de mirtilos por um passador e junte ao batido.

Adoce e distribua por seis copos com dois cubos de gelo cada.

Fonte: “Etnobotânica – Plantas bravias, comestíveis, condimentares e medicinais“, José Alves Ribeiro, António Monteiro e Maria de Lurdes Fonseca da Silva (texto editado, adaptado e aumentado com informações daqui) | Imagem