A Renascença – diversos períodos da História

 

A Renascença marca o princípio daquilo que os historiadores consideram como período moderno da História. Renascença, como é óbvio, quer dizer renascimento, e em certa época os historiadores pensaram ter existido um ressurgimento do saber a seguir à escuridão cultural da Idade Média. No entanto, seria talvez mais justo dizer que houve um grande aumento do saber e da prática das artes, isto porque a vontade de conhecer e descobrir permanecera desde os tempos clássicos, particularmente no seio da Igreja e entre os Árabes, que tinham conservado as tradições gregas.

Tal como todas as outras mudanças e movimentos, é difícil estabelecer um momento exacto para o começo da Renascença. O ano de 1453 é uma data conveniente, quando a queda de Constantinopla às mãos dos Otomanos fez fugir para a Europa os sábios e estudiosos que aí restavam.

Os seus conhecimentos, que se espalharam rapidamente com o desenvolvimento da imprensa, aumentaram as interrogações quanto às ideias estabelecidas na religião, arte e ciências. Os estudiosos começaram a trabalhar independentemente da Igreja, enquanto na arte e na vida se dava mais realce ao humano do que ao divino. O desafio provocado por estas ideias novas deu também ímpeto aos exploradores, que começaram a abrir novas terras e novas rotas, e aos dirigentes religiosos que puderam em movimento a Reforma.

Algumas datas importantes, na Europa

1454 – É aperfeiçoada a imprensa com caracteres móveis.

1455 – Guerra das Duas Rosas, em Inglaterra, até 1485.

1459 – Os Turcos Otomanos conquistam a Sérvia.

1467 – Carlos, o Temerário, duque da Borgonha.

1492 – Espanha conquista Granada.

1494 – Estatuto de Drogheda.

1496 – Os Judeus são expulsos de Portugal.

1499 – Tratado de Basle.

1501 – Espanha e França ocupam Nápoles.

1591 – Calros V, sacro imperador romano até 1556.

Sugestão de leitura

O Mundo Clássico – diversos períodos da História

[themoneytizer id=”18933-19″]

 

1521 – Dieta de Vórmia.

1523 – Gustavo I é eleito rei da Suécia.

1537 – Roma é saqueada por Espanhóis e Germanos.

1531 – É formada a Liga de Esmalcalda.

1532 – Paz religiosa de Nuremberga.

1533 – Ivan IV governa a Rússia até 1584.

1534 – Acto de Supremacia.

1545 – O papa Paulo III abre o Concílio de Trento.

1561 – Maria, rainha dos escoceses, regressa à Escócia.

1562 – Guerras religiosas em França, até 1598.

1568 – Os Países Baixos revoltam-se contra a Espanha.

1572 – Massacre do Dia de São Bartolomeu.

1580 – Início da dinastia Filipina em Portugal, até 1640.

1581 – União de Utreque.

1582 – Introdução do calendário gregoriano.

O calendário que hoje usamos foi estudado por astrónomos ao serviço do papa Gregório XIII, nos anos de 1580. Até essa data, o calendário em uso, introduzido por Júlio César em 46 d.C., considerava um ano – que era onze minutos e catorze segundos maior do que o ano real – o tempo que a Terra leva a descrever uma órbita em redor do Sol. Assim, mais de mil e seiscentos anos depois, o calendário estava dez dias adiantado em relação às estações do ano.

Por ordem do papa Gregório XIII, o dia 5 de Outubro de 1582 passou a ser o dia 15 de Outubro do mesmo ano, e corrigiu o erro. Para evitar que este se repetisse, o Papa decretou que os anos de centenário que não pudessem ser divididos por quatrocentos seriam anos bissextos, como seria de esperar. Os países católicos-romanos adoptaram imediatamente o novo calendário, mas muitos países protestantes só o fizeram nos anos 1700, e a Rússia apenas em 1918.

1588 – Derrota da Invencível Armada.

1589 – Henrique IV, rei de França, até 1610.

1598 – Edicto de Nantes.

1605 – Descoberta a Conjura da Pólvora.

Fontes: História – Resposta a tudo e outras | Imagem de David Mitchell por Pixabay 

[themoneytizer id=”18933-16″]