Altar de prata na Sé do Porto | Curiosidades históricas

Altar de prata

Poucos templos igualam em grandeza o sumptuoso edifício da Sé do Porto, construído no plano mais elevado da cidade [Pena Ventosa] e dominando esta do alto da sua soberania.

Sem remontarmos a épocas anteriores à fundação da monarquia portuguesa, apenas referiremos que a Sé do Porto foi mandada edificar pelo conde D. Henrique (1), pai do primeiro rei português, D. Afonso Henriques, e que nela se disse a primeira missa no ano de 1120.

Muitas têm sido as reedificações e ampliações por que este edifício tem passado, e por isso apresenta vários estilos arquitectónicos, conforme as épocas em que tem sido reconstruído ou ampliado, não sendo não sendo as suas belezas arquitectónicas o que mais o recomendam senão a sua grandeza e história.

Entre as muitas coisas notáveis que ali há para admirar, é, por sem dúvida, a que mais nos atrai o belo altar de prata da Capela do Santíssimo, e que a nossa gravura representa.

Parece-nos que, depois da capela de S. João Baptista, na igreja de S. Roque de Lisboa, é este altar a obra mais preciosa que, no seu género, existe em Portugal.

Este altar é obra do século XVIII, pois foi colocado na capela no ano de 1792.

É todo de prata batida e primorosamente lavrada, desde o frontal até ao sacrário, composto de três corpos com a respectiva cúpula, de forma elegante, com apainelados contendo baixos-relevos representando passos da Escritura Sagrada.

Banqueta, quatro apóstolos, sacras, tocheiros, e seis alampadas, tudo de prata, completavam esta preciosidade artística e ao mesmo tempo de subido valor material.

Estes objectos, porém, foram roubados pelos soldados de Napoleão, quando invadiram a península.

Salvo de roubo

Muitos destes roubos foram praticados em Portugal por aquela ocasião, como é sabido, e se o altar não foi também roubado é porque os invasores julgaram que era de cobre galvanizado, não lhes parecendo possível tanta riqueza ali reunida. (2)

É esta uma das tradições, e a que parece mais razoável.

A nossa gravura dá uma boa ideia da capela e do altar, o que nos dispensa de fazermos mais minuciosa descrição.

Fonte: “Occidente“, nº505 – 1 de Janeiro de 1893 (texto editado e adaptado)

Altar de prata na Sé do Porto | Curiosidades históricas

Notas:

(1) Conta-se que a primeira pedra da Sé do Porto foi assente por D. Teresa, viúva do conde D. Henrique, só vindo a ser concluída já no reinado de D. Dinis.

Citando João de Barros (1459) “a see foi começada pella Rainha D. Teresa, molher do conde D. Anrique e depois a rainha D. Mafalda, molher de el rey D. Afonso Anriques acabou aquella see“. No entanto esta data de conclusão é facilmente desmentida, sabendo-se que a conclusão da construção dos zimbórios das torres se verifica a 5 de Junho de 1557.

(2) Efetivamente, o altar terá sido salvo das tropas francesas em 1809 por meio de uma parede de gesso construída apressadamente por um sacristão da sé.

Fonte