O enredo das óperas mais conhecidas e famosas!

As Bodas de Fígaro (1786)

A maior ópera cómica de Mozart centra-se nas intrigas que rodeiam a próxima boda de Fígaro (criado do conde Almaviva) e Susanna (criada da condessa Almaviva).

O conde tenta seduzir Susanna antes de ela casar, mas Fígaro consegue exceder o patrão em esperteza. Ao ouvir esta obra pela primeira vez, o imperador austríaco José II disse a Mozart que ela tinha «notas a mais».

La Traviata (1853)

Ópera romântica de Verdi. Violetta Valéry, uma cortesã parisiense atacada de tuberculose, fica tão comovida com a devoção de um jovem chamado Alfredo Germont que sai da cidade para ir viver com ele.

O pai de Germont convence-a a renunciar ao filho, o qual, por seu turno, a acusa de infidelidade. Na cena final no leito de morte, os dois amantes reconciliam-se, mas Violetta desfalece e morre nos braços de Alfredo.

O Anel do Nibelungo (1869-1876)

Quatro óperas separadas: O Ouro do Reno, A Valquíria, Siegfried e O Crepúsculo dos Deuses formam este imponente ciclo de 15 horas, que Richard Wagner levou 25 anos a completar.

A história gira em torno de um anel que dá o poder supremo a quem o usa. No Ouro do Reno, Wotan, que governa os deuses, obriga um anão chamado Alberich, que forjou o anel, a entregar-lho.

A maldição que o anão vingativo lança sobre os portadores do anel é o tema das três óperas seguintes. A maldição é finalmente levantada pelo auto-sacrificio de Brunilde, a filha preferida de Wotan.

Aida (1871)

Grandiosa ópera de Verdi acerca do amor do guerreiro egípcio Radamés e da escrava Aida – que é na realidade a filha do governante da Etiópia.

Quando planeiam fugir juntos, Radamés trai acidentalmente a sua pátria revelando alguns segredos militares. É julgado e condenado a ser enterrado vivo. Aida introduz-se secretamente na sepultura e morre com ele.

Carmen (1875)

Sendo actualmente uma das óperas mais populares em todo o Mundo, Carmen foi um fracasso ao ser apresentada pela primeira vez em Paris em 1875. O público ficou chocado com o realismo ousado, e o compositor, Georges Bizet, desapontado, morreu pouco tempo depois.

Conta a história da bela cigana Carmen que enfeitiça um cabo chamado Don José. Este deserta do regimento para com ela, mas Carmen em breve se cansa dele e junta-se com o toureiro Escamillo. O rejeitado José mata Carmen, apunhalando-a.

La Bohème (1896)

O primeiro triunfo internacional de Puccini, que contém algumas das mais belas árias jamais escritas. Passada em Paris, conta como um poeta boémio, Rodolfo, se apaixona por uma costureira tísica chamada Mimi.

Mais tarde zangam-se e separam-se o artista Marcello, amigo de Rodolfo, que se separa da amante Musetta, com quem acaba de reunir-se. Os dois homens anseiam pelas anteriores amantes quando Musetta volta, seguida de perto por Mimi, que desfaleceu e está a morrer.

A ópera termina tragicamente com Rodolfo abraçando o corpo sem vida da amada.

Tosca (1900)

Passada em Roma na época napoleónica, esta obra épica e trágica relata a história de Tosca, uma grande cantora de ópera que está apaixonada pelo pintor Cavaradossi.

Este ajuda um revolucionário a fugir e é preso por Scarpia, o sádico chefe de polícia, que também deseja Tosca. A cantora concorda em ceder a Scarpia se ele poupar a vida do pintor.

Tosca logra apunhalar Scarpia, mas este, mesmo morto, é o último a rir. Embora tivesse assegurado a Tosca que a execução de Cavaradossi seria simulada, ordenara ao pelotão de fuzilamento que usasse balas reais.

Traída, Tosca mata-se quando chegam os esbirros de Scarpia para a prender.

Madama Butterfly (1904)

Comovente obra-prima de Puccini que conta a história da relação impossível entre Cio-Cio-San, uma jovem gueixa japonesa, e Pinkerton, um tenente da marinha americana.

Pinkerton vê o casamento com Butterfly ao estilo japonês como um acordo temporário, enquanto ela considera a cerimónia vinculativa, e lhe dá um filho.

Quando Pinkerton regressa ao Japão com a nova noiva americana reclamar para o filho, Butterfly suicida-se.

Turandot (1926)

A última ópera de Puccini inclui a ária «Nessun Dorma» e passa-se na antiga Pequim.

Calaf, que esconde ser filho de um governante exilado, obtém a mão da altiva e cruel princesa Turandot respondendo correctamente a três enigmas.

O castigo para o fracasso é a morte. Calaf acaba por conquistar o amor dela com um beijo apaixonado.

Fonte: Dicionário Ilustrado do Conhecimento Essencial | Imagem de Ahmad Ardity