O que semear na horta em Novembro

 

Não sabe o que semear na horta em Novembro? Nós damos-lhe algumas sugestões e argumentos para o que deve semear!

Alface – «A alface é uma planta herbácea rica em nutrientes e clorofila; e tem a função de alcalinizar e desintoxicar — principalmente o fígado. Esta hortaliça constitui uma importante fonte de vitaminas (A, C e niacina) e sais minerais (sais de enxofre, fósforo, ferro, cálcio e silício).

A tal da folha verde-clara tem um gosto mais suave, e muitas vezes acaba sendo deixada de lado, por acharem que ela não contém tantas vitaminas e minerais quanto as folhas de um verde mais escuro. Afinal, normalmente, quanto mais viva a cor de um vegetal, maior a quantidade de fitoquímicos ele tem. No entanto, a alface tem sim muitos nutrientes.

E, ainda, essa verdura tem um trunfo quando o assunto é ansiedade: graças a uma substância chamada lactucina, um composto com efeito calmante e relaxante que ajuda até mesmo em casos de insônia. Você pode encontrá-la principalmente no talo do alimento.» Para saber mais

Beterraba – «Muito cultivada na Europa, a beterraba, para além de matéria-prima para a produção de açúcar e biocombustível, é um alimento com propriedades benéficas comprovadas. A sua fibra alimentar retarda a absorção dos hidratos de carbono do sangue, aumentando os níveis de energia no organismo.

A beterraba é um dos alimentos mais consumidos para combater a anemia. É muito utilizado em oncologia, pois ajuda a reduzir os efeitos secundários da quimioterapia, aumentando a eficácia do tratamento. Desintoxica o organismo e evita as anemias comuns nestes pacientes.

Tónica e protectora do fígado, ajuda a reduzir o colesterol, é purificadora do sangue e útil na homocistinúria, uma doença diagnosticada pelo teste do pezinho e em que ocorre um aumento de homocisteína no sangue, o que pode causar um acidente vascular cerebral (AVC) e enfartes do miocárdio, problemas de visão e diminuição do crescimento nas crianças.» Para saber mais 

Cebola – «Cebola é o nome popular da planta cujo nome científico é Allium cepa. Em sistemas taxonómicos mais antigos, pertencia à família das Liliáceas e subfamília das alioídeas – taxonomistas mais recentes incluem-na na família das Alliaceae.

Por apresentar um alto grau de quercetina, um importante flavonoide, a cebola favorece a circulação sanguínea. Além disso, seu teor de silício ajuda a prevenir trombose e o envelhecimento das veias e artérias. Inclusive, ajuda a reduzir, também, o colesterol no sangue e aumenta a capacidade do organismo de dissolver coágulos internos, o que previne a trombose coronária.

Outra propriedade é a de anti anémica, afinal, pois ela oferece-nos fósforo, ferro e vitamina E. Desse modo, ajuda o organismo na reposição de sangue e regeneração dos glóbulos vermelhos.

Por ser rica em vitaminas A e C, ideais para aliviar sintomas de problemas respiratórios, os óleos essenciais que possui, devido ao seu teor de enxofre, dão à cebola a capacidade de diminuir os sintomas de doenças como a bronquite, resfriado e constipações. A cebola é rica em vitaminas A e C, o que a torna um poderoso aliado no combate a problemas respiratórios, tais como os resfriados.

Outro elemento que a cebola contém e que exerce influências positivas em nossa saúde é o potássio. O potássio é o responsável pela capacidade que a cebola tem de ajudar na eliminação do excesso de líquidos e diminuição dos riscos de sofrermos de gota, hipertensão e cálculos renais.» Para saber mais

Sugestão de leitura

Frutas e legumes que se devem consumir em Novembro

Frutas e legumes a consumir em Novembro

 

Chicória – «A chicória, de nome científico cichorium intybus, é uma planta nativa da região mediterrânea e posteriormente naturalizada em diferentes regiões da América do Norte, Europa e Austrália. Trata-se de uma planta medicinal amarga que é utilizada como substituta do café, sendo um estimulante do apetite, tônico e laxante suave. Os seus componentes principais são a inulina, glucosídeos, vitaminas e minerais.

Rica em vitaminas A, B, C e, além de ser fonte de nutrientes que promovem o funcionamento adequado do intestino, a chicória é uma verdura que proporciona diversos benefícios à nossa saúde e deve estar presente em uma dieta saudável. Devido à sua poderosa ação na regulação do intestino, esta verdura pode auxiliar na prevenção de cânceres, pois reduz os níveis de toxinas nos órgãos.

Com propriedades diuréticas, a chicória também ajuda no tratamento de infecções no trato urinário e na prevenção de pedras nos rins. Este alimento fornece apenas 18 calorias em cada 100 gramas e, por conter fibra solúvel que garante a sensação de saciedade, reduz a fome e protege o organismo do acúmulo de colesterol. Entre as propriedades da chicória, ainda estão a sua ação laxante, sedativa suave, tônica hepática e digestiva.» Para saber mais

Tomate – «O tomate é um fruto muito utilizado nos nossos pratos, e que tem muitos benefícios para a nossa saúde. Ricos em licopeno, os tomates são um excelente antioxidante. Há estudos que comprovam que o licopeno é uma substância anticancerígena, pois ajuda a neutralizar os radicais livre, a a recuperar energia entre treinos

Por ser rico em vitamina C, A e licopeno, o tomate é um antioxidante de excelência, ajudando a reduzir a incidência de doenças cardíacas e de doenças relacionadas com a idade, como a degeneração muscular. O consumo de tomate está, também, associado à regulação do colesterol LDL: a sua composição melhora a saúde cardiovascular, levando mais oxigénio à corrente sanguínea, estabilizando assim os níveis de colesterol.

Com elevado teor de potássio, o tomate também é essencial para combater o stress oxidativo dos ossos. Ele ajuda a dar-lhes vida mais longa e saudável. É especialmente importante nas mulheres que estão no período da menopausa.

Este fruto ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue, o que o torna um bom aliado de pessoas com problemas de diabetes. Com baixo teor calórico, e propriedades diuréticas, o tomate é um alimento que deve ser incluído no seu prato se está numa dieta de emagrecimento. Este fruto estimula ainda a produção de aminoácido carnitina, que faz com que o organismo queime mais gordura. O tomate contém na sua composição melatonina, neurotransmissor essencial para o sono. Fonte

Couve-galega – A Couve-galega é uma couve tradicional portuguesa de extraordinária beleza e versatilidade. A origem da Couve-galega é muito antiga e o estatuto de “Rainha das Couves” em Portugal não se deve ao acaso. Esta imponente couve, vigorosa e muito produtiva, é uma das couves que mais se aproxima da couve espontânea e selvagem.

Trata-se de uma variedade que possui importantíssimas propriedades medicinais e nutricionais, e uma notável aliada na prevenção de doenças. Na gastronomia, esta maravilhosa couve é a responsável por nos proporcionar aquele delicioso caldo verde de que tanto gostamos.

Nabiças de grelo – A Nabiça é uma planta herbácea, bienal cultivada como anual, com sistema radicular aprumado, carnudo, que pode assumir diversas formas consoante as cultivares, podendo a raiz, ter coloração uniforme ou bicolor, sendo o branco e o roxo as cores mais vulgares. As folhas de Nabiça são de cor verde médio a escuro, rugosas, ásperas, pubescentes e dispostas em roseta durante a fase vegetativa do ciclo. As flores são amarelas, agrupadas numa haste floral. A espécie possui polinização alogâmica. O fruto das Nabiça é uma síliqua. O ciclo cultural tem a duração de cerca de 40 a 60 dias na Primavera e Verão e 90 a 100 dias no Inverno.

Em geral, as sementes de Nabiças cultivam-se em local definitivo desde meados da Primavera até meados do Outono. Em geral, as sementes de Nabiças cultivam-se em local definitivo desde meados da Primavera até meados do Outono. Para saber mais

Nabo redondo – «O nabo é um vegetal com um teor energético muito baixo, que supõe aproximadamente 27 kcal/100g. Contém uma grande quantidade de água, chegando até ao 92%, fazendo que seu teor em carboidratos, lípidos e proteínas não será muito significativo. Fornece somente um 0,1% de gordura e um 0,9% de proteínas, enquanto que os carboidratos chegam ao 4%.

De seu teor em mineral destacaremos o potássio por ser encontrado em maior proporção, seguidamente pelo magnésio, cálcio, ferro, sódio e fósforo. E em menor proporção, embora não seja o menos importante, encontraremos quantidades apreciáveis de zinco. Quanto ao fornecimento de vitaminas, encontraremos quantidades significativas de todas, exceto de vitamina B12 e de vitamina A e E. Destacaremos a vitamina C por ser encontrada em maior proporção, seguidamente em ordem decrescente dos folatos, vitamina B6, niacina, vitamina B1 e B2.

O nabo não é um alimento que tenha uma longa tradição de alimento ou de planta medicinal, embora tenha sido usado desde há milhares de anos como alimento básico em toda a Europa. Por isso, lhe contaremos algumas patologias para as que tradicionalmente foi considerada útil o consumo do nabo, como são por exemplo: a Gota, a Obesidade e o Hipertiroidismo.» Para saber mais

Rabanetes – «O rabanete é uma hortaliça anual de raiz, cultivada desde a Antiguidade e consumida no mundo todo por seu sabor adocicado, refrescante e picante. Ele pertence à família Brassicaceae, a mesma da couve, do nabo, da mostarda e do agrião.

Com poucas calorias, os rabanetes são fontes de antioxidantes, eletrólitos, minerais, vitaminas e fibras. Graças às suas propriedades, têm ação no combate ao cancro de próstata, cancro de mama, do cólon e cancros do ovário. Por serem ricos em vitamina C, atuam no combate aos radicais livres, inflamações e ainda aumentam a imunidade. Ajuda ainda na digestão dos amidos graças à enzima diatase.

As folhas e as raízes são consideradas, juntas, excelentes calmantes, diuréticos, mineralizantes, alcalinizantes, tônicos para os músculos, antiescorbúticos, aperientes e eupépticos. Seus antioxidantes ajudam a reduzir os níveis de colesterol no sangue e, por isso, reduz também os níveis de risco de doença cardíaca e de ataques cardíacos. A raiz também é estimulante da produção de bilis, melhorando a digestão e, por ser rico em fibras, ajuda a eliminar a prisão de ventre.

Aos diabéticos, a raiz traz benefícios, pois tem baixos índices glicémicos, podendo ser consumida sem preocupação. Além disso, é eficaz àqueles que querem perder peso, pois reduz o inchaço, melhora o funcionamento intestinal e traz sensação de saciedade.»

ErvilhasPisum sativum popularmente chamada de ervilha é uma planta da qual existem mais de duzentas variedades, e de suas vagens são extraídos diversos tipos de grãos.

As ervilhas são ricas em sais minerais como o cobre, o cálcio, o potássio, o fósforo, o enxofre e o ferro, e ainda possuem vitaminas K, E, A, B e C.

Possuem ação como anti-inflamatório, antioxidante, entre outras que contribuem para o combate às doenças do coração, radicais livres e envelhecimento precoce, anemia, osteoporose, atuando ainda no fortalecimento dos ossos e da visão e atuando como um cicatrizante. Ajudam a diminuir os níveis de colesterol ruim e de açúcar no sangue, além de serem ricas em fibras: além de regularem o funcionamento intestinal, ajudam no emagrecimento por promover a saciedade. Possuem um nível muito baixo de calorias, controlam a liberação de açúcar – o que o faz ser um alimento ideal para diabéticos – e fornecem energia. Devido à presença da vitamina C, agem, ainda, estimulando o sistema imunológico e prevenindo o cancro.

Favas – Fava é a denominação de um ou mais espécies de plantas da família das Fabaceae, em especial da espécie Vicia faba. Ao contrário do feijão, a fava tem como característica encontrar-se a sua radícula numa das pontas espalmadas e não ao centro.

A fava é uma leguminosa tendo, no geral, uma composição nutricional muito semelhante a outros alimentos deste grupo. Além do elevado teor em proteína de origem vegetal, a fava é rica em amido, um tipo de hidrato de carbono complexo, que proporciona ao organismo níveis de energia estáveis por um período de tempo considerável. É também rica em ferro, vitaminas do complexo B, magnésio, potássio, zinco e fósforo.

A fava é também uma das leguminosas mais ricas em fibra, apresentando 5,8g deste nutriente por 100g de fava, sendo apenas ultrapassada pelo feijão branco. Além disso, o seu elevado conteúdo de fibra, à semelhança de outros alimentos com esta característica, faz com que o consumo de fava nas quantidades recomendadas tenha efeito positivo na redução dos níveis das substâncias gordas no sangue (colesterol sanguíneo e triglicéridos), na regulação do apetite e no funcionamento do trânsito intestinal.

SalsaA Salsa (Petroselinum sativum)é uma planta herbácea, formando uma roseta de folhas muito divididas, e o seu sabor é suave tornando-a numa das mais populares ervas aromáticas. A salsa é bastante resistente a flutuações da temperatura. O seu sabor é suave tornando-a numa das mais populares ervas aromáticas, é universalmente utilizada como tempero de imensos pratos. É usada em sopas, molhos, pratos de carne, de peixe, de marisco, omeletas e massas.

A salsa é um poderoso diurético, curando a retenção de água no organismo, sendo recomendada para pedras nos rins, reumatismo e cólicas menstruais. A clorofila encontrada nesta planta é também um bom remédio para evitar o mau hálito (halitose). A salsa contém mais vitamina C que qualquer outro vegetal da nossa culinária (166mg por 100g). Isto é três vezes mais do que uma laranja. Fonte 

Alguns dos textos foram elaborados com base em informações retiradas de diversos site e adaptados.