Pepino – fresco, delicioso e baixo em calorias

 

Nativo da Ásia, o pepino surge em diversos tipos e consome-se, sobretudo, cru. Fresco, baixo em calorias e saudável, é delicioso em saladas, às refeições, mas também pode ser o snack perfeito a qualquer hora do dia.

O pepino (Cucumis sativus) pertence à família botânica das Curcubitaceae, onde também se incluem outros vegetais, como o melão, a melancia, a curgete e as abóboras. Esta espécie é nativa da região nordeste da Índia e do Nepal, onde teve origem há cerca de 10 mil anos. Este é a segunda cucurbitácea mais produzida em todo o mundo, apenas sendo ultrapassada pela melancia.

A nível mundial, a sua produção está concentrada na Ásia. Com cerca de 80% da produção, a Europa produz aproximadamente 10% e os restantes são produzidos no Médio Oriente. Em Portugal, este é um vegetal produzido na primavera/verão, não existindo, no entanto, nenhuma região particularmente especial para o seu cultivo no território nacional.

Os vários tipos

A planta é herbácea com características de trepadeira, por isso é normalmente cultivada em altura, por forma a evitar o contacto dos frutos com o solo. As folhas são largas, o fruto de cor verde intenso e o seu tamanho pode variar nos seguintes tipos:

Cornichon: frutos muito pequenos, normalmente utilizados para conserva (pickles).

American Slicer: frutos curtos, cilíndricos e com alguns picos, destinados ao consumo em fresco.

Beit Alpha ou minipepino: frutos curtos, de pele lisa e sem picos, de cor brilhante, destinados ao consumo em fresco.

Holandês, comprido ou doce: frutos longos e finos, com rugas longitudinais, de sabor algo adocicado, destinados ao consumo em fresco.

Francês, intermédio: frutos de tamanho intermédio, de cor intensa e sem picos, destinados ao consumo em fresco. Este é o tipo mais consumido em Portugal.

O pepino, ao contrário do melão e da melancia, é um fruto imaturo e muito apreciado pela sua frescura, sendo, por isso, maioritariamente consumido em saladas. No entanto, também tem outras utilidades, nomeadamente para a indústria cosmética.

Benefícios

O pepino tem um valor energético reduzido e é rico em fibra. Fresco, delicioso e baixo em calorias, pode ser o snack perfeito a qualquer hora do dia. Experimente cortá-lo em palitos e levá-los consigo para “picar” quando a fome aperta – um excelente truque para controlar o apetite.

Por ser rico em água, já que tem mais de 95% do seu peso neste líquido, consumi-lo é também uma excelente forma de se manter hidratado.

Sugestões sobre…

…como escolher – Escolha os frutos firmes ao toque e com a pele lisa, verde  e brilhante. Evite comprar pepinos que se apresentem amarelados e com as pontas moles.

… como conservar – Guarde os pepinos na parte inferior do frigorífico durante alguns dias. Depois de abertos, envolva-os em película aderente e consuma-os nos dois dias seguintes.

… como consumir

Cru: é a forma ideal de consumir o pepino, especialmente nas saladas, com ervas aromáticas ou com tomate, alface e pimento. É, juntamente com o iogurte natural, o ingrediente principal do famoso molho grego tzatziki.

Cozinhado: pode ser cozido juntamente com outras hortaliças, gratinado no forno, recheado, refogado, usado em sopas quentes ou frias, ou em molhos, por exemplo.

Em vinagre: para esta preparação utilizam-se variedades de pepino mais pequenas.

Informação nutricional (composição por cada 100 g de parte edível)

Energia: 17 kcal | Água: 95,1 g | Proteína: 1,4 g | Gordura: 0, g | Hidratos de Carbono: 1,7 g | Amido: 0,1 g | Fibra alimentar: 0,7 g | Ácido Linoleico: 0,1 g | Vitamina A: 6,0 µg | Caroteno: 35 mg | A-Tocoferol: 0,070 mg |Tiamina: 0,020 mg | Riboflavina: 0,010 mg | Niacina: 0,60 mg | Vitamina B6: 0,050 mg | Vitamina C: 3,0 mg | Folatos: 9,0 µg | Sódio: 3,0 mg | Potássio: 140 mg | Cálcio: 10 mg | Fósforo: 18 mg | Magnésio: 8,0 mg | Ferro: 0,5 mg | Zinco: 0,1 mg

Fonte: Tabela da Composição dos Alimentos, Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge

Fonte do texto base: Continente Magazine (adaptado) | Imagem de RitaE por Pixabay