Rezar com a Igreja – A Liturgia das Horas

Elementos constitutivos da Liturgia das Horas

Hinos

São cânticos que marcam, logo de entrada, a característica de cada hora ou de cada festa, situando-nos ao mesmo tempo no momento próprio do dia (manhã, tarde, noite) e do tempo litúrgico.

Salmos e Cânticos

São poemas bíblicos, do Antigo Testamento (salmos e cântico de Laudes) e do Novo Testamento (cântico de Vésperas).

Compostos sob inspiração do Espírito Santo, elevam o espírito dos homens para Deus, ajudam-nos a dar graças na prosperidade, consolam e robustecem na adversidade.

São diversos os temas que os salmos apresentam:

louvor: é o motivo predominante dos salmos, recordando as intervenções salvíficas de Deus na história dos homens;

lamentação: exposição das necessidades e limitações dos homens;

confissão: reconhecimento humilde e confiante dos pecados e erros humanos;

gratidão: agradecimento pelos benefícios recebidos;

meditação: aprofundamento da palavra de Deus e contemplação das suas maravilhas.

Os salmos só se podem compreender à luz do Novo Testamento, relacionando-os com Cristo, que também os rezou.

Para facilitar esta relação e ajudar a descobrir o valor que tem para a vida humana, cada salmo vai acompanhado dum título e duma frase, que se podem ler na recitação.

Antífonas

São pequenas frases bíblicas ou de inspiração bíblica, que servem de introdução aos salmos, tornando mais claro o seu sentido e ajudando a transformá-los em oração pessoal.

Leituras bíblicas

Em cada hora aparece uma leitura breve da Sagrada Escritura.

Acompanhando o tempo litúrgico ou a festa, a leitura breve foi escolhida para pôr em relevo um pensamento ou uma mensagem que convém aprofundar e aplicar à vida.

Por isso se aconselha, depois da leitura, fazer uma breve homilia.

Em vez da leitura breve pode fazer-se uma leitura mais longa, a procurar no ofício da leitura, nas leituras da missa ou noutro documento apropriado.

Silêncio

Aconselhado depois da leitura ou da homilia, seria o momento de tornar mais pessoal e assimilar o que acaba de ser recitado ou proclamado. Por isso também ficaria bem no fim de cada salmo.

Cânticos Evangélicos

São os cânticos do Benedictus (Laudes) e do Magnificat (Vésperas), que se encontram no Evangelho de S. Lucas. Exprimem dum modo particular o louvor e a acção de graças pela obra da redenção.

Oração

Tanto a oração dos fiéis (preces) como a oração do presidente sintetizam em prece tudo o que já antes se exprimiu: louvor, gratidão, súplica, oferecimento, etc.

Modo de rezar

O Presidente começa a Introdução a cada hora e todos respondem.

O Aleluia da Introdução (e qualquer Aleluia que apareça noutro lugar) omite-se no tempo da quaresma.

A oração de Laudes, sendo a primeira do dia, pode começar pelo Invitatório em vez da fórmula de Introdução.

Cada salmo é precedido duma antífona. Uma pessoa recita a antífona e começa o salmo (pode também ler a frase colocada antes de cada salmo).

Todos continuam a recitação do salmo, que se faz em dois grupos, alternando, por versículos ou por estrofes. No fim do salmo todos repetem a antífona. E passa-se ao salmo seguinte, também ele precedido duma antífona.

Procede-se da mesma maneira. No fim de cada salmo diz-se o Glória ao Pai, a não ser que expressamente se diga o contrário.

A leitura breve pode ser substituída por outra mais longa. Pode ainda ser comentada em breve homilia ou reflexão de grupo. Se houver tempo e for oportuno, uns momentos de silêncio facilitam a assimilação e a aplicação da Palavra de Deus à vida.

O Responsório breve recita-se alternadamente entre uma pessoa e as restantes do grupo. Pode ser substituído por um cântico apropriado.

O cântico do Benedictus e do Magnificat é introduzido por uma antífona, que se repete no fim do cântico. Recita-se como nos salmos.

Aos formulários da oração dos fiéis (preces) podem juntar-se outras intenções particulares de quem ora.

Nas solenidades tomam-se os salmos do domingo.

Oração da Manhã – Laudes

Laudes é o nome que a Igreja dá à sua oração da manhã.

Terminado o tempo de repouso, o cristão da graças ao Senhor por mais um dia que desponta, oferecendo-lhe todos os seus trabalhos e actividades.

Oração da Tarde – Vésperas

Vésperas é o nome que a Igreja dá à sua oração da tarde. Para rezar mais ou menos à hora do pôr-do-sol.

Os antigos chamavam-lhe ofício da luz ou lucernário.

Hora Intermédia

Pode tornar-se a oração mais oportuna para começar reuniões ou trabalhos que tenham lugar após a Missa, quer de manhã quer às primeiras horas da tarde.

Considera-se especialmente indicada em jornadas de trabalho, estudo, reflexão, colóquios, convívios, etc.

Completas

E a oração que põe termo ao trabalho do dia e que serve de exame do que nele se realizou.