Hipericão-bravo ou Pericão | Plantas medicinais

Hipericão-bravo ou Pericão

Hypericum perforatum L.

GUTTIFERAE ou CLUSIACEAE.

Origem/ Habitat

Encontra-se na Europa.

Aparece em terrenos incultos, bosques pouco densos, clareiras, prados secos e muros velhos.

Encontra-se até aos 1600 metros de altitude.

Breve descrição botânica

Planta vivaz, cuja altura pode variar entre os 30 cm e os 80 cm.

O caule é avermelhado, com duas linhas longitudinais salientes.

As folhas são opostas, cobertas de numerosas pontuações glandulosas translúcidas e salpicadas de pontos negros.

As flores são de um amarelo intenso e as suas pétalas possuem também pontuações negras.

A floração ocorre desde Junho até Setembro.

Partes utilizadas

Folhas, sumidades floridas.

As folhas e as sumidades floridas são secas em ramos à sombra.

Indicações

A infusão de planta seca é usada para cólicas, problemas de digestão, mau funcionamento do fígado e para doenças nervosas.

Outras aplicações

O “óleo de hipericão” é útil para problemas de articulações, feridas e queimaduras.

Este “óleo de hipericão” é feito com as sumidades floridas e o seu uso é tópico.

Actualmente o uso do hipericão tornou-se mais popular, sobretudo nos países do Norte da Europa, em especial na Alemanha, onde lhe o seu nome vernáculo corresponde em português a erva de S. João.

Inúmeras experiências têm sido realizadas no sentido de estudar os princípios activos desta planta no combate de situações de stress e nervosismo.

Outros nomes vulgares

mil-furada, erva-de-São João, hiperico.

Fonte: “Etnobotânica – Plantas bravias, comestíveis, condimentares e medicinais“, José Alves Ribeiro, António Monteiro e Maria de Lurdes Fonseca da Silva (texto editado e adaptado) | Imagem