Especiarias – tudo com mais sabor e mais apetitoso

As especiarias melhoram o sabor dos alimentos

As especiarias são substâncias vegetais utilizadas, há milhares de anos, para condimentar algumas iguarias e bebidas, dando-lhes sabor e aroma, isto é, melhoram o sabor dos alimentos e tornam os pratos mais apetecíveis.

Para além disso, colaboraram na conservação de alguns alimentos e podem, ainda, estimular a digestão.

Fique, agora, a conhecer algumas das especiarias que pode usar para temperar os alimentos em inúmeras receitas.

As especiarias podem realizar maravilhas e o seu emprego adequado não constitui nenhuma ciência oculta.

Há muitas plantas que são pródigas em substâncias especiais. As substâncias aromáticas ou de sabor penetrante desse tipo permitem-nos empregar partes da planta como condimento.

Com a sua ajuda, podemos fornecer às nossas ementas inúmeros e intensos matizes quanto a sabores e aromas, tornando-as, assim, mais variadas.

Muitas dessas especiarias estimulam a mucosa gástrica e intestinal, fazendo-a segregar maior quantidade de sucos digestivos, e facilitando, deste modo, a digestão de manjares «pesados».

A diversidade de aromas, por outro lado, estimula nitidamente o apetite.

Empregamos, como condimentos, folhas, raízes, cortéx, sementes ou frutos, flores ou verticilos, geralmente secos ou em pó.

Algumas especiarias

A canela, por exemplo, é o cortéx interior seco de um arbusto da família do loureiro. É mencionada já (em ramo) num tratado chinês de herborística cerca de 2.800 a.C. – é uma das especiarias mais antigas.

O botão sem abrir do cravinho, parente do cravo, dá-nos a especiaria do seu nome.

O açafrão compõe-se dos estigmas secos de uma flor iridácia.

A planta do gengibre, parente da banana, possui rizomas de conceituado valor gastronómico.

Gozam de especial difusão as bagas de uma trepadeira da Índia: a pimenta, lançada no mercado nas variedades de branca e preta, segundo o grau de maturação da colheita e o respetivo tratamento posterior.

O seu sabor picante deriva de um alcalóide, a piperina; o seu aroma provém de vários óleos essenciais.

Muitas das especiarias provêm da grande família das umbelíferas, cujo aroma perfuma de um modo tão penetrante o ar dos campos nos dias quentes.

Entre elas, empregam-se como condimento os aquénios do anis, endro, funcho, cominho, coentro e cerefólio e as folhas, nos casos da salsa, aipo, pimpinela.

Outra família rica em plantas de especiarias é a das labiadas, a que pertencem, entre outras, a alfavaca, o tomilho, o rosmaninho e a salva.

Poderíamos continuar a lista – existem mais de 100 espécies de especiarias.

Fonte: “Plantas” de Herbert Lange e DietmarTodt, Circulo de Leitores, 1975

As especiarias melhoram o sabor dos alimentos e tornam os pratos mais apetecíveis. Fique, agora, a conhecer melhor algumas das especiarias que pode usar para temperar os alimentos em inúmeras receitas.

Gengibre

Originário da Ásia, o gengibre tem sido um tempero e uma planta medicinal popular ao longo de muitos séculos.

Aromático, ligeiramente picante e com um toque a limão, adiciona um sabor especial aos mais variados cozinhados, salgados e doces. Ele pode ser usado nas suas diversas formas: fresco, seco, em conserva, em óleo ou cristalizado.

Como consumir

– Com sopas e saladas
– Com massas, arroz e purés
– Em chás, infusões e sumos
– Com carne, peixe e marisco
– Em bolos, bolachas e mousses

Fique a saber que… os orientais costumam aplicar compressas e gengibre para aliviar dores articulares e musculares. O gengibre é utilizado no fabrico do refrigerante ginger ale e também de produtos cosméticos.

Cominho

De origem mediterrânica, o cominho é uma planta muito antiga, que foi utilizada por várias civilizações, desse os celtas, passando pelos romanos e árabes.

Hoje em dia, é uma das especiarias mais populares na culinária da Índia, México e Médio Oriente.

Como consumir

– Em misturas de especiarias
– Salpicado sobre pão, saladas e queijos
– Em morcelas e outros enchidos tradicionais portugueses
– Em bolos de especiarias

Fique a saber que… o sabor do cominho é agradável e fresco, e o aroma é acentuado. Quando usado em grandes doses, pode tornar-se um pouco enjoativo. Na gastronomia, são utilizadas as sementes secas, inteiras ou moídas, desta planta.

Cardamomo

Nativo da Ásia, o cardamomo tem sabor e aroma parecidos com o gengibre – o que não admira, pois pertence á mesma família.

Esta especiaria é constituída por uma vagem que contém sementes com um sabor forte, e são essas sementes que são utilizadas na cozinha (embora também seja possível encontrar cardamomo em pó).

Como consumir

– Para aromatizar pão, carne, pudins, doces, saladas de fruta, gelados e licores
– Em pratos indianos, tanto salgados como doces
– Em bebidas quentes

Saiba que… quando fizer arroz, experimente usar cardamomo como substituto do alho no refogado.

Curcuma

Originária da Ásia e muito utilizada pelos povos desta área do globo, a curcuma é não só um aromático tempero como também se tem revelado um medicamente natural.

Prima do gengibre, dá ao caril a sua esplêndida cor amarela alaranjada e contribui para o seu sabor picante, quente e ligeiramente amargo.

Como consumir

– Para temperar sopas, sobretudo as de lentilhas ou de feijão
– E, chás em smoothies
– Em molhos
– Em pratos à base de ovos e peixe

Saiba que… a curcuma também é usada pela indústria cosmética em perfumes, pela indústria têxtil, para tingir tecidos, e pela indústria farmacêutica, para a produção de compostos com características medicinais.

Fonte: Continente Magazine (adaptado) | Imagem de destaque